Por que os angolanos estão nos grupos brasileiros de facebook?

Por Gabriel Veloso*

Se você usa o facebook com uma certa frequência, deve ter notado que recentemente (de uns poucos anos pra cá) surgiram muitos angolanos em grupos brasileiros. Não raro, alguns fazem perguntas simples que poderiam ter sido pesquisadas no google. Por exemplo: em um grupo de biologia perguntam o que é material genético e como classificá-lo.

Muitas vezes são crianças e adolescentes tentando fazer o dever de casa. Muitos brasileiros acham engraçado e até estúpidas as perguntas, zombam e se recusam a responder, já que, em teoria, eles poderiam pesquisar isso facilmente no google. Acontece que muitos não podem.

Pra ser o mais sucinto possível: angolanos em sua esmagadora maioria não possuem acesso à internet banda larga e quando sequer possuem acesso à internet, muitas vezes é através de planos de celular, que oferecem acesso limitado a alguns apps, como o facebook, porém não ao google (pois o acesso é feito mediante parceria das operadoras com as empresas donas dos apps individualmente), e é por isso que muitos recorrem aos grupos brasileiros que, por serem lusófonos e normalmente serem maiores que os grupos de outros países lusófonos, acabam atraindo os angolanos.

*A pesquisa da imagem é de 2014 do INE angolano (equivalente ao IBGE) e de lá pra cá deve ter melhorado um pouco, mas provavelmente não muito.

Portanto, não seja escroto(a), ajude-os a estudar (mesmo que seja só pra copiarem pro dever de casa, já estarão ajudando) e respondam as perguntas.

Artigo detalhado explicando a situação da internet em Angola neste link.

Abaixo, vídeo de um angolano sobre o assunto:

*Gabriel Veloso é influencer e trabalha como secretário auxiliar no Ministério Público de Goiás

Artigos Relacionados

O mito da unidade da resistência ucraniana

Durante a cobertura do conflito que ocorre no presente momento no leste europeu, somos levados a acreditar que existe apenas um pensamento na Ucrânia: a defesa de seu governo. Contudo, quando observada de forma crítica, tal narrativa não parece se sustentar. Exatamente nesse sentido, A coisa pública brasileira, no intuito de esclarecer sobre o que ocorre na Ucrânia neste presente momento, publica o presente artigo, do referido autor para que brasileiros possam ter informações relevantes que nos vem sendo negadas, devido ao intenso bloqueio midiático.

A nova política externa da Rússia, a Doutrina Putin

Parece que a Rússia entrou em uma nova era de sua política externa – uma ‘destruição construtiva’, digamos, do modelo anterior de relações com o Ocidente. Partes dessa nova maneira de pensar foram vistas nos últimos 15 anos – começando com o famoso discurso de Vladimir Putin em Munique em 2007 – mas muito está se tornando claro apenas agora. Ao mesmo tempo, os esforços medíocres de integração ao sistema ocidental, mantendo uma atitude obstinadamente defensiva, continuam sendo a tendência geral na política e na retórica da Rússia.

A História do EZLN através de suas declarações (Parte I)

“As seis declarações serão objeto de uma análise comparativa e abrangente. Os seis fazem parte de um todo que não pode ser segmentado, exceto para facilitar a organização de seu estudo, não como objetos de estudo em si e separadamente. Esses documentos contam a história de um movimento político caracterizado por uma plasticidade ideológica e factual altamente sincrética.

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *